Comentários Técnicos ou de cinema?

PokerPages Photo

 

E aí pessoal, hoje vou fazer um post sobre um assunto que tenho dúvidas, então vou pedir pra vocês darem suas opiniões nos comentários, desde os profissionais , amadores até os entusiastas que acompanham meu blog.

Hoje fui gravar os comentários do BSOP SP lá na Band e amanhã começo a comentar o Masterminds pela TVPokerPro e aí sempre penso qual a melhor maneira de fazer os comentários já que as duas plataformas são bem distintas e atingem públicos diferentes. Na BandSports o tempo que temos para comentar cada mão é bem menor já que as mãos são editadas e o público tem mais iniciantes e pessoas que nem sabem as regras, já na TVPokerPro temos muito tempo para comentar cada mão, falar com o telespectador e até papear entre a gente e o público tem mais pessoas que já tem uma idéia do jogo.

A minha dúvida vem de algo que venho pensando algum tempo e de algo que o Daniel Negreanu falou recentemente. Que poker para quem não conhece tem que ser divertido, tem que passar emoção e dar pro espectador a sensação de que ele conseguiria fazer aquilo, para ele sonhar em um dia estar naquela mesa disputando com os profissionais. No Boom do Poker no WSOP do Moneymaker lembro que o foco dos comentários era mais no lado “de cinema” do poker. Tipo a coragem do Moneymaker pra fazer um blefe gigante, do talento do Ivey, de como o Farha tinha experiência e estava no controle da situação,  e aí ficou muito mais fácil pra eu, que era só um simpatizante de jogos de baralho achar que um dia eu conseguiria fazer aquilo. Não se falava em second barrell, cold 4bet, combos, 3bet light ou qualquer denominação de uma jogada avançada e ainda assim eu achava aquelas transmissões legais demais. Talvez se falassem de uma maneira muito complicada eu iria achar que aquilo ia ser impossível de aprender e não me tornaria jogador de poker.

Claro que não tinham só os comentários, a produção que a ESPN fez naquele torneio, captando todos os bastidores, o que acontecia fora das mãos e a espetacular história dum cara com o nome que mais encaixava naquela situação, Moneymaker, jogando contra os profissionais fez com que o poker explodisse de uma maneira gigante. Hoje no Brasil não temos como chegar nem perto dessa produção toda, porque os orçamentos e estrutura estão bem aquém do que a ESPN tinha na época.

Mas focando só sobre os comentários deixo aqui minha dúvida e queria a ajuda de vocês, pois as respostas aqui podem alterar a maneira como eu e os comentaristas de poker brasileiros comentam os torneios que trabalham. Pensando no crescimento do poker, em mostrar mais o lado divertido do jogo, de associar emoções que estão presentes em todo mundo como medo, coragem, confiança, tilt ao jogo vale a pena abrir mão dos comentários mais técnicos??

Você que assiste minhas transmissões  diz aí , você gosta quando fazemos o negócio mais técnico, explicando mais coisa ou quando focamos mais nas emoções e sentimentos que o poker gera na gente?
Pra quem não viu o WSOP na época vou deixar um vídeo da transmissão do HU do Moneymaker contra o Farha pra vocês entenderem sobre o que estou falando.

É isso ai, espero as respostas!

 

 

Advertisements

14 comments

  1. eu adoro comentários tecnicos, mas entendo a necessidade d comentarios de cinema. acho q os comentarios tecnicos tem q ficar para a transmissao ao vivo, como acontece na ESPN quando é em tempo real e eles colocam, por exemplo, o esfandiari comentando. no editado é compreensível o foco mais na emoçao do que na tecnica

  2. Explicar o lado técnico em mãos mais complexas é interessante, só que eu sinto mais vontade de ver uma transmissão quando os comentarista e narrador estão mais empolgados e mostrando suas emoções. Em mãos mais complexas é interessante explicar o por que de cada jogada. O bom é o equilíbrio entre os dois.

  3. Acho que tem que mesclar, mas para o público que não conhece o jogo, uma transmissão estilo essa do moneymaker é o melhor mesmo!, sempre acompanho suas analises na tvpoker pro e creio que vc irá continuar comentando super bem. valeus

  4. eu gosto muito mais dos comentários técnicos hoje em dia por compreender mais o jogo mas acho que em transmissões editadas onde o publico alvo são os iniciantes acho que os comentários de cinema são mais apropiados, mas em transmissões ao vivo acho muito melhor os comentários técnicos, não perco uma transmissão da tvpokerpro justamente por considerar as transmissões ao vivo verdadeiras aulas de poker, isso é o mais legal.Abraço.

  5. Acho que vc mesmo já sabe a resposta. Técnico na tv poker pro e cinema na band. Isso estará de acordo com o público alvo. Só tem que ver se vc se sente confortável com a linha cinema, pois acredito que vc prefira a linha técnica.

  6. Na traminssão da tv poker pro, o publico eh totalmente diferente da tv. No pokerpro, todos que acompanham a transmissao ja sao conhecedores do poker, querem acompanhar os idolos, melhorar o jogo, entender algumas jogadas dos pro e a analise dos pros.

    Ja na tv aberta, o publico muitas vezes é o pessoal que ta zapeando de canal, tem algum interesse por esses tipos de esporte e acaba parando pra ver. Ate pelo horario que ele é exibido, sexta de madrugada. Claro, que nessa audiencia tbm terao alguns que ja conhecem bem o jogo, mas a minoria.

    Temos sempre que lembrar que se queremos que o esporte cresça, temos que torna-lo mais acessível ao publico. Coisa que vejo mt gente fzd o contrario, querendo q o esporte seja só pra si. Mas deixa isso pra la e vamos em frente.

    O publico em geral precisa de emoção, pq é isso que movimenta qualquer esporte no mundo. E se tratando em esporte da mente, isso fica mt mais na responsabilidade de quem transmite o torneio, do que pra quem joga. O jogador de poker, por natureza ele tem que ser frio e calculista, se o pro que estiver comentando o torneio na TV tbm seguir esse padrão, será uma transmissao massante, pesada e pouco divertida pra quem esta acompanhado.

    Um bom exemplo nos dias de hj, esta sendo a olimpíada de inverno, na qual, nos brasileiros estamos pouco familiarizados com os esportes. Logo o desafio de se colocar emoção em uma partida de curling é o mesmo de colocala em uma partida de poker.

    Tenho acompanhado mt esses jogos de inverno e notei que para os esportes mais longe da realidade do telespectador, sempre rola um mix de emoção, parte técnica e tática e um pouquinho de como são os “bastidores” desse esporte.

    Diria q parte técnica e táctica, são resumidas pelas coisas básicas do esporte, coisas bem iniciantes, como algumas regras simples, tácticas básicas, algumas explicações bem didáticas e bem mastigadas de algum “pq” de certa jogada. Ficando essa parte apenas como detalhes.

    E a emoção e curiosidades do esporte como o principal produto. O foco sempre fica no time, nas torcidas, no atleta, na dificuldade, no desafio, no risco e etc. Trazendo pra nos, coisas que conseguimos equiparar ao q já conhecemos dos nossos esportes.

    No poker, não vejo mt diferença. Temos que transmitir toda a emoção, insegurança, medo, desafio, que o jogador que esta na mesa esta tentando controlar. Sem transmitir essa experiência pro espectador, não há sentimento de envolvimento com a ação que esta acontecendo, e deixa de ser algo divertido e prazeiroso de assistir.

    Diferente do futebol, onde todos nos somos profundo conhecedores, o poker a principio tem q vir de uma forma mais leve e divertida. Assim como foi o futebol nos EUA, onde jogar era legal, mas assistir era mt chato, por mts vezes não entenderem ou por acabar zero a zero e nada acontecer.

    Então deixe a parte técnica e táctica pra tv poker pro, e traga a emoção que o publico precisa pra band e faça o esporte crescer cada dia mais.

    Abs
    Fernando

  7. Se o poker nao fosse um esporte ainda contestado por alguns no Brasil, creio que o melhor seria fazer das narracoes um grande espetaculo como foi a final da NFL esse ano. Porem para que o brasileiro perca seu preconceito em relacao ao jogo, comentarios tecnicos sao fundamentais para que o telespectador iniciante saiba que por tras de cada jogada tambem existe muito trabalho tecnico e nao apenas as emocoes. Parabens pelo trabalho Bueno!

  8. Animal o post Bueno!!
    Acho que você mesmo já tem a resposta: Na Band, por todos os motivos que vc deu, sendo tv aberta, pouco tempo entre as mãos e o espectador leigo, acho mais legal levar pra esse lado cinematográfico, falando das emoções, identificar o “herói” e o “vilão” na situação, no caso, o mocinho e o bandido, aproximar o jogador do espectador, mostrar características e qualidades que qualquer um possa ter, enfim, mostrar um lado mais emocionante do jogo e menos técnico. Já na TV Poker Pro, acredito que o público em geral, além de amigos e familiares dos jogadores, já possui um conhecimento teórico e técnico maior, e mesmo que não conheça, estariam interessados em conhecer e aprender ainda mais com um especialista como você. Só pra concluir, acho que a sua posição é MUITO importante no cenário em que o poker vai se desenvolver nesses próximos anos, e tenho certeza que estamos muito bem representados! Manda bala! Grande abraço!
    Nicolau Villa-Lobos

  9. Primeiramente parabéns pelo seu trabalho!

    Concordo com muito do que já falaram. Aprofundar na TV poker pro é importantíssimo, enquanto a TV aberta tem a função maior de ampliar e popularizar o poker no Brasil.
    Pra isso é fundamental a parte da emoção. Informações sobre a vida dos jogadores pra gerar identificação com o telespectador. Com o objetivo de minimizar preconceitos. E trazer reconhecimento à carreira de jogador profissional de poker.
    Agora, é importante não cair na banalidade. E dosar isso talvez seja a maior dificuldade que você tenha. A transmissão brasileira da NFL,por exemplo, tem o objetivo de popularizar o esporte no Brasil, mas causa aversão em quem conhece minimamente o esporte justamente por trazer apenas informações básicas demais (e inclusive alguns erros).
    Penso inclusive que o uso de alguns termos e análises técnicas pode gerar curiosidade e motivar os telespectadores com potencial a entusiastas do poker.

    Em linhas gerais é isso que penso.

    Sucesso!

  10. Parabens pelo post Bueno.

    Acho q o caminho é esse mesmo. Tv Poker Pro, mais técnico e Tv aberta mais cinema mesmo.
    Mas outro ponto q acho q devemos considerar é a participação dos jogadores. É claro q cada um tem seu estilo, uns mais extrovertidos outros menos. Mas é sempre bom para quem está assistindo ver ação na mesa, ver emoção. A mesa de poker muito “parada” perde a atenção do público e não é um espetáculo muito interessante (Notamos isso inclusive nas transmissões da TVPP com os telespectadores as vezes pedindo pra mudar a mesa da tv, passar a mesa do High Roller ou uma mesa com outros jogadores.
    É claro q no desenvolvimento de uma mão, faz parte a poker face, a discrição, a dissimulação, mas na hora do show down, é sempre interessante ver a atitude do jogador, o nervosismo, a torcida, a vibração ou a decepção.
    Jogadores como Negreanu com as suas conversas, piadinhas, Phill Helmuth o falastrão, ou mesmo o “Paraguaio” no último BSOP são um show (apesar de o Paraguaio ter passado do limite algumas vezes) mas ver o nervosismo dele, ele “desmaiando”, fazendo massagem no Robi Gol ou no final chorando a perda do torneio dão mais vida ao espetáculo e envolvem mais o expectador seja torcendo a favor ou contra.
    Não estou dizendo q os jogadores tenham q ser atores, mas uma participação maior dá inclusive mais elementos para q vc como comentarista possa melhorar e enriquecer mais os comentários. (No caso do Paraguaio acho q até vc se emocionou com o choro dele no final).
    É claro q isso não é função sua, mas cabe a todos nós jogadores entender q quanto mais nós participarmos do espetáculo mais ele melhora (em alguns casos o jogador é o espetáculo)
    .E todos nós gostamos de espetáculo, gostamos de show por natureza.
    Eu acho q o Poker tem todos os ingredientes pra se tornar uma grande atração. As ações no poker envolvem muito dinheiro e isso por si só, ja chama a atenção do público em geral, mas com bons jogadores, bons comentaristas e uma boa produção o poker pode sim ser um SHOW.
    Admiro muito o trabalho de vcs, excelentes profissionais da TVPP e a parceria com a Bandeirantes colocando o Poker na tv aberta só vem ajudar o propósqito da divulgação do Poker e a diminuição da discriminação q sabemos q ainda existe.

    Abraço e Parabéns pela idéia do Post.

    #tamojunto.

    Angelo Sotero

  11. Na tv pokerpro… Já acho que a abordagem tem que ser mais técnica!! Em rede de TV (seja paga ou gratuita)… Mais cinema!!

  12. Eu acho que o melhor dos mundos seria mesclar as duas técnicas. Nas transmissões você fala tanto para o público que sabe jogar, quanto para aquele público que a emissora deseja cativar. Explicar tecnicamente uma jogada é importante para aqueles que estão no noviciado entenderem o que aconteceu ali. Mas para aquele público que não tem afinidade ainda com o poker, que está iniciando, que quer se enamorar pelo esporte, um pouco de emoção, de coração no comentário cai muito bem.

    O comentarista essencialmente técnico torna-se um chato e aquele que é só emoção, só gozação torna-se caricato e perde credibilidade. Existem mãos que permitem um extravasar de emoções, mãos cruciais em que exaltar o lado matreiro, o lado emotivo, o lado malandro do jogador é mais importante do que a jogada em si.

    Um exemplo – A final do High Roller do WSOPE com o Nicolau e o Negreanu. Numa mão específica, o comentarista afirmou que o Negreanu iria apostar no máximo 200K de fichas para receber o call do Nicolau. O Negreanu colocou quase o dobro disso, uns 360K de fichas. Essa jogada merece um comentário mais emotivo do que técnico do tipo “armou, armou a casinha, deu a corda para o Nicolau se enforcar, vamos ver se ele põe a corda no pescoço”. Depois da jogada (em que o Nicolau efetivamente pagou) aí sim explicar que o jeito como ele apostou caracterizaria um blefe, mas foi feito para extrair valor.

    Agora, não pode confundir emoção com torcida. Comentar com emoção é uma coisa, torcer desbragadamente é outra. Nessa transmissão específica da ESPN, o comentarista torcia descaradamente para o Nicolau. Parecia que o Negreanu era algum jogador de quinta e que o Nicolau iria passar por cima dele. Infelizmente, cego pela emoção, ele não viu o trap que o Daniel armou para cima do Nico e em quinze minutos liquidou a fatura. Eu, com toda minha cegueira no poker, já tinha falado para a minha mulher que aquilo era um trap, que ele estava dando corda, dando corda, dando corda, permitindo até que o Nico virasse chip leader e, daqui a pouco… BOOOMMM! Adeus torneio.

    Outra coisa é tentar encontrar termos mais prosaicos para explicar certas mãos – falar em “inside straight draw, gutshot draw, belly buster draw, flsuh draw com straight na gaveta, threebetou, fourbetou, edge, push/fold” é muito legal para os doentes por poker, mas para os iniciantes é praticamente falar hebraico. Se der para mesclar seria muito bom.

    E, finalmente, mostrar com exemplos cabais o por que do poker ser um esporte inteligente, refinado, privilégio de grandes mentes e não um fruto do acaso. Dar valor para jogadas realizadas com primazia, grandes blefes, jogadas construídas passo a passo. Hoje se dá muito valor ao all-in como o momento mais emocionante do poker. E não é. Até um macaco saberia entrar de all-in em uma jogada. São jogadas em sua maioria de flip coin em que um ou outro podem ser bafejados pela sorte.

    As jogadas que devem ser comentadas e mostradas à exaustão são aquelas que foram preparadas no pré-flop e executadas com maestria até o showdown. Mostrar as tells, comentar as “falinhas”, destacar padrões de comportamento dos jogadores nas mesas, até o jeito que o jogador brinca com as fichas em determinada situação. Porque, para muitas pessoas, esse lance de “ler o jogador” é balela. O lance do poker ser um esporte da mente é bobagem. Por que? Porque se dá muito valor para as jogadas de sorte e não para as jogadas de habilidade. E esse é o caminho que eu acho correto para o comentário, ou seja, destacar aquilo que faz do poker um esporte e não o que faz do poker uma obra do acaso.

    Parabéns pelo post, parabéns pelo blog e boa sorte na empreitada.

    Grande abraço

    ThonnyEv

  13. Nunca Bueno! Seus comentários técnicos são excelentes e ajudam mt quem já tem um pouco mais de entendimento sobre o jg… Mas para quem ainda ñ tem mt conhecimento é sempre bom frisar sobre as emoções do jogo e demais sentimentos e ele passa, pois quem já tem certo conhecimento já sabe de td isso! Acredito q nos programas do band sports e da band vcs possam fazer comentários menos técnicos mas na TVPOKERPRO tem q continuar como está e sempre evoluindo!
    Grande abraço

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s